lojas-virtuais-loja da atitudeAssim que a internet começou a encorpar muitos empresários já perceberam seu incrível potencial de negócios…Com o desenvolvimento da internet banda larga essa possibilidade se tornou uma realidade e pipocaram inúmeras formas de rentabilizar a internet.

Lojas Virtuais

Venda de Serviços

Classificados e Propagandas

Enfim…as possibilidades até hoje ainda crescem exponencialmente!
Prova disso é o tráfego gerado por essas lojas…Abaixo nós listamos alguns exemplos de lojas virtuais bem sucedidas, vale a pena conferir!

Dafiti – 7 milhões de visitas/mês

No ultimo semestre a Dafiti, loja focada em artigos de moda, recebeu um investimento pesado do grupo Ontario Teachers no valor de R$ 160 milhões. Sendo que os caras entenderam a maré alta que vive o ecommerce da moda no Brasil.

Casas Bahia 7,1 milhões de visitante por mês

A casa Bahia é um exemplo claro do aproveitamento da marca no meio digital…Afinal nós aprendemos a confiar na loja com o exemplo dos nossos pais, que já eram consumidores da loja…A integração com a internet foi uma cartada de mestre para cativar as novas gerações e mante-las clientes.

Magazine Luiza – &,6 milhões de visitas/mês

Esta loja já foi o contrário, ela praticamente apareceu para o mundo por causa da internet.
Já com muitos anos de estrada o Magazine Luíza nunca havia despontado como uma grande marca varejista, até apostar forte na internet.
A internet viabilizou e muito a consolidação da marca entre as maiores do Brasil.

Submarino.com – 9,8 milhões de visitas/mês

Esta é uma marca integralmente online! O submarino.com nunca teve nenhuma loja física, mas nem por isso não deve ser respeitado.
O submarino emergiu em 2005 como a maior loja online do Brasil, e assim permaneceu até 2008 quando a Americanas.com compraram a marca e diminuíram sua visibilidade, numa jogada de marketing para controlar essa sua concorrência, já que a americanas também apostava no mundo digital.

Walmart – 11 milhões de visitas/mês

O maior varejista do mundo com certeza não ficaria fora dessa tendência!
O Walmart iniciou suas atividades online em 2007 e de lá para cá tem sido uma das empresas de maior crescimento online do Brasil. Fazendo valer a confiança da sua marca baixos preços.

Netshoes – 12,5 milhões de visitas/mês

A Netshoes provavelmente tem o inicio mais curioso de todos, pois seus criadores perceberam muito precocemente a possibilidade incrível que a internet abrira pra os varejistas…Sendo assim eles iniciaram sua empreitada com lojas físicas simplesmente para angariar os fundos necessários para a criação da estrutura necessária (galpões de depósitos, estrutura logística…)
Assim que se viram fortes o suficiente, venderam todas as suas lojas físicas a atacaram com unhas e dentes a mundo digital, investindo pesado em anúncios, afiliados e patrocínios à times de futebol para ganharem notoriedade…Não é necessário dizer que deu muito certo né!?

Loja da Atitude

A loja da Atitude partiu da ideia de não comercializar apenas produtos físicos, mas também produtos de informação, como ebooks, cursos online, e podcasts.
Com esse inovador pensamento, a loja da atitude avalia e indica diversos cursos digitais, o que por si só já é uma tendência.

lojavirtual

 

 

diversidade online.Recentemente foi aniversário da internet…A 20 anos atrás foi concluída a primeira transferência de dados entre computadores!
Como nós já falamos em posts anteriores, a internet é sem dúvida uma das maiores invenções da humanidade, possibilitando a criação de milhares de outros produtos através dela.

De lá para cá trilhões de sites foram criados, democratizando cada vez mais o acesso à informação… sites empresariais, mídias sociais, e bases de downloads.
Ainda outros mais peculiares, promovem ideologias políticas contraditórias, namoro cristão e sites de encontros casuais…Enfim, a internet tem realmente se tornado um espaço aberto para qualquer pessoa que queira expor suas ideias, conhecer pessoas ou fazer negócios!

É inegável que a Internet tem desempenhado um papel fundamental no favorecimento da diversidade. redes de comunicação digitais tornaram possível para publicar e consultar todos os tipos de documentos e informações. Neles é acumulado o conhecimento produzido por uma multidão de criadores com diversos interesses, origens e origens culturais. Em nenhuma outra época, como a nossa,  tantas pessoas tiveram a oportunidade de acessar uma quantidade tão variada e extensa de documentos como a web tem para oferecer: a partir de conteúdos elaborados por especialistas e centros de pesquisa, com o material realizado por fãs e diletantes; das criações concebidas para uma audiência de massa a esses produtos destinados a segmentos minoria muito da população digital.

Então não é nada se não for paradoxal que, na Internet, uma série de práticas estão começando a consolidar que tendem a favorecer a uniformidade e sancionar quaisquer conteúdos que caem além da norma e estão situadas nas margens do gosto da maioria.

Temos um exemplo claro disso da maneira que procurar função de motores, que constituem a porta principal de acesso a conteúdos alojados nas redes digitais. Como é sabido, a popularidade é um dos principais critérios pelos quais os crawlers conceder relevância para as páginas dispersos em toda a web. Se um site gera uma grande quantidade de tráfego e está ligada a muitas páginas externas, que tem uma alta probabilidade de aparecer indexados nos primeiros rankings de resultados de pesquisa, fato que, por sua vez, provoca que ele ganha mais visitas e aumenta suas possibilidades de conseguir mais links de outros teias.

internetA forma como isto funciona acaba por ter efeitos perversos, na medida em que tende a privilegiar popularidade ao longo e critérios acima referidos de pertinência ou qualidade. Ela acaba sendo habitual, que quando se procura informações sobre assuntos específicos, os motores de busca tendem a recomendar as páginas mais visitadas, mas aqueles com informações medíocre, enquanto ao mesmo tempo escondido locais mais rigorosos, mas menos populares. Neste sentido, não é nada se não irritante que as primeiras posições nos resultados de pesquisa para praticamente qualquer assunto cultural ou científico acabam sendo ocupado por entradas da Wikipedia ou páginas que copiam o conteúdo desta enciclopédia colaborativa. O resultado é que os ecos da Wikipedia acabam ressoando através publicações infinitas, tanto digital e em papel. Quando tudo estiver dito e feito, a inteligência coletiva flui para o pensamento uniforme.

A Wikipédia é um projeto admirável, que eu tenho colaborado ativamente! Mas atualmente estou simplesmente tentando alertar dos perigos provocados na influência cultural excessivo que certas práticas na Internet estão começando a adquirir.

O conhecimento apresentado na internet é abundante e vários, mas nem sempre é assim tão fácil de acessar. Em outro texto afirmei que as redes digitais trouxeram com eles um novo tipo de raridade, um que não é dependente de escassez, tais tanto quanto em nossa falta de consciência. Em nossos tempos, uma coisa é rara não apenas porque ela existe em um número limitado, mas porque é difícil para nós percebermos a sua presença. E, de fato, uma grande parte do conhecimento acumulado nas redes digitais aumenta em raridade na medida em que se revela como incapaz, de competir com o enorme poder de atração dos conteúdos mais populares na Internet e de encontrar os meios para obter uma certa presença, num ambiente super saturado com informações.

Na realidade, um dos grandes desafios que aqueles de nós que defendem a pluralidade do rosto Internet consiste na elaboração de estratégias para garantir que a minoria, o estranho e os diferentes canais de encontrar para ganhar visibilidade. Trata-se de assegurar que a diversidade floresce e encontra um lugar dentro do território imenso que a Internet se tornou.